Segunda sem carne

Segura aí que hoje é dia de polemizar.

O vegetarianismo é um estilo de vida que vai além do que tá no seu prato. Quem for, vê se concorda comigo: Quando você percebe que está comendo um animal, passa a pensar em todo o processo que leva ele até seu prato. Então você aproveita para entender a produção de tudo mais que você come e percebe que agrotóxico é uma coisa nojenta e venenosa. Já que você sente uma dor enorme no coração por saber que animaizinhos estão morrendo por aí, você quer cuidar dos que estão vivos, inclusive os animais da espécie Homo sapiens, porque não faz sentido amar uns e não amar outros. Quando você vai ver está pensando em formas de acabar com tanta produção de lixo e prestando vestibular para Gestão Ambiental.

Eu fui vegetariana por 3 anos e achei maravilhoso. Não tive nenhum problema de falta de nutrientes, mesmo com tendencias à anemia; não ficava passando mal por aí e nem era “por isso que tava assim tão magrinha”, na verdade até ganhei uns quilinhos. Não queria morrer por não ir ao McDonald’s, muito pelo contrário. Ironicamente, quando passei a ficar muito tempo na faculdade e depender de bandejão pra me alimentar, eu voltei a comer carne porque a soja do lugar era estranhíssima e inconveniente.

Mas não somos animais carnívoros por natureza? Pra que vegetarianismo? Somos. Na verdade somos onívoros, mas até onde eu aprendi, só chegamos até aqui porque muito tempo atrás, nossos ancestrais que eram mais macacos do que homem, resolveram comer carne. Acontece que eu estou falando de uma evolução que levou um tempo pra aparecer, não foi imediato; não existe uma vitamina de QI na carne animal e ninguém fica mais burro se deixar de comer. Estou falando de uma época sem agricultura, sem criação de animais, sem o problema da fome, desigualdade social, capitalismos… A ideia de que há um mercado especializado em criar vidas que serão planejadamente sacrificadas pra te alimentar deixa de parecer algo natural, principalmente num mundo onde uma enorme parte da população morre de fome, enquanto outra parte menorzinha se esbalda em churrascarias, e come sozinha, o suficiente para sustentar todo mundo, e ainda sobram toneladas para jogar fora.

Ai, eu sei disso tudo, mas eu gosto muito de carne, não me obrigue a não comer carne. Tudo bem, não precisa nunca mais comer, comece pequeno. Eu, por exemplo, gosto muito de torta de limão, mas não como torta de limão todos os dias. Escolha um dia da semana pra não comer carne, recuse aquela picanha na hora do almoço que te deixa pesado o resto do dia. Descubra sabores novos.

Ta, mas eu vou comer o que então? Meeeeeeeeeu amooooooor, mas é tanta coisa. Você pode comer, por exemplo, tudo o que é de comer menos carne! Pra mostrar como é simples e lindo e delicioso, e principalmente pra me incentivar, eu aderi a campanha Segunda Sem Carne, e por que não postar aqui as receitas testadas? Prometo que vai ser tudo facinho, até mesmo porque eu não faria se não fosse.

Berinjela recheada

IMG_20150728_202137187__Olha, ceis me desculpa a qualidade da foto, tá?

Primeiro acende o forno pra ir esquentando e não demorar a vida toda pra fazer a janta. Lava a berinjelinha e corta ela no meio (tira os bichinhos que sempre vem, não tem jeito, ce fica meia hora escolhendo na feira, mas sempre tem um danado de bichinho la dentro). Eu ainda faço uns cortes mais superficiais porque, na minha cabeça, faz com que não fique cru no meio. Passa um pouco de azeite e coloca no forninho.
Agora pode ir fazer o recheio que seu coração mandar, ou do que você tiver aí. O que eu tinha era soja (vamos perder o preconceito com soja, gente, a soja é nossa amiga – e, geralmente, unica opção quando largamos a carne).
A soja precisa ser hidratada antes de qualquer coisa. Faça isso num recipiente a parte e deixe na água quente por uns 5 minutos. Ela dobra de tamanho depois disso, então não precisa exagerar. Enquanto isso, refogue um pouco de cebola numa panela onde sera preparado o recheio. Quando ela estiver douradinha pode misturar a soja (escorre a água, hein) e ir adicionando os temperos – coloquei sal, tomate picado, paprica doce e salsa. Depois de uns 15 minutos no fogo já tá belezinha pra tirar tudo do fogo, rechear, e amar sua comidinha cruelty free.

Oui!

 

Anúncios

6 comentários sobre “Segunda sem carne

  1. Eu não como carne vermelha e meu próximo passo é abolir o peixe.Abóbrinha verde e soja fazem parte da minha vida alimentar.De brócolis ao molho branco, strogonoff de abobrinha(meu prato preferido) e muita invenção mas de coisas simples ….rs…adorei sua dica de berinjela …eu nunca fiz pq sempre achei trabalhoso mas desta forma é bem fácil.Bjs

    Curtir

  2. não sou vegetariana mas diminui e muito a quantidade de carne que como. na verdade já me peguei algumas semanas sem. o engraçado é que, mesmo antes de parar pra pensar em tudo o que isso acarreta, me dei conta de quem não existe essa necessidade de comer carne all fucking day. dá pra comer tanta coisa maravilhosa sem nem lembrar da carninha HAHA 🙂

    Curtir

  3. Eu ainda não evolui a ponto de conseguir ficar completamente sem carne. Aqui no sul ainda temos o costume de comer churrasco (coisa que adoro). Mas quero muito reduzir o consumo.
    Vou ficar de olho nas suas receitas! 🙂

    Curtir

comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s